brainstorm

f5

as idéias evoluiram bastante nas últimas semanas. acabei decidindo, enfim, que a pesquisa resultasse num projeto teórico-experimental e não numa monografia. o tema (dentre tantas coisas que abrigam o espaço entre corpo, imagem e subjetividade), ganhou um recorte: a solidão.

pretendo, através de imagens, investigar esse trânsito difícil entre nós e o mundo. por enquanto, ainda coleto idéias embrionárias que surgem ao ver imagens como essa:

i am __________, clica para saber mais.

corpo, referências

da materialidade da carne.

O corpo existe e pode ser pego.
É suficientemente opaco para que se possa vê-lo.
Se ficar olhando anos você pode ver crescer o cabelo.
O corpo existe porque foi feito.
Por isso tem um buraco no meio.
O corpo existe, dado que exala cheiro.
E em cada extremidade existe um dedo.
O corpo se cortado espirra um líquido vermelho.
O corpo tem alguém como recheio.

Momento VIII, Arnaldo Antunes (1999)
do disco O Corpo (BMG, 2000)

brainstorm

marco-zero

imagens contemporâneas, corpo, subjetividade, solidão, fotografia.

alteridade, iconofagia, experiência, arte, espaço, práticas instalativas, processos criativos, fabulação, estetização do cotidiano, memória.